Skip to main content
Ouvido versus leitura musical

Ouvido versus leitura musical

Ouvido versus leitura musical

É muito comum entre estudantes de piano e aficionados por música a pergunta “preciso mesmo saber ler partituras?”. De fato, é bastante comum a afirmativa de que ler partituras e cifras é essencial para que um pianista seja completo. No caso da atuação profissional, muitos afirmam que aqueles que não se dedicam a esse aspecto estão destinados a perder as melhores oportunidades de trabalho.

Mas também é senso comum que sem um bom ouvido um músico deixa a desejar. E há pianistas que enxergam a música como algo mais artístico, autoral, o que diminui a necessidade de se aprofundar nos estudos.

Para responder à pergunta, portanto, cabem várias análises sobre qual o objetivo do estudante de música e do pianista e de quais ferramentas ela vai precisar para se desenvolver.

Leia Mais

Radamés Gnattali – o revolucionário da música brasileira

Radamés Gnattali – o revolucionário da música brasileira

A fronteira entre o erudito e o popular, por vezes fortemente demarcada na história, foi diluída frequentemente por músicos e compositores que ousaram se entregar aos dois gêneros. No Brasil, são muitos os exemplos daqueles que trafegaram pelos dois mundos unindo o melhor de ambos em prol da música. Um dos mais destacados foi Radamés Gnattali, pianista, compositor, arranjador e maestro que atuou em praticamente todos os terrenos: deixou vasta obra sinfônica e camerística e foi um dos mais importantes arranjadores brasileiros, com pelo menos cinco décadas de atuação em música popular.

Leia Mais

Dez dicas para sua hora de estudo render

Dez dicas para sua hora de estudo render

Há a lenda de que para um pianista se formar é necessário que ele estude 9 horas por dia. Apesar de, em parte, isso ser verdadeiro, apenas se aplica a quem pretende ser um concertista, dominando todas as técnicas e desenvolvendo uma virtuosidade ímpar. Mas, na realidade, nem nesses casos tanto tempo de estudo diário é necessário, desde que a rotina seja bem organizada. A maioria dos pianistas afirma que uma média de 5 a 6 horas de estudo é suficiente para formar um virtuose.

Como atualmente pouquíssimas pessoas tem tanto tempo para o estudo, e menos ainda são as que pretendem ou podem se dedicar exclusivamente ao piano, é fundamental que os poucos momentos em que o músico tenha contato com o instrumento sejam extremamente proveitosos e prazerosos. E é importante lembrar que vale mais uma hora de estudo todos os dias do que 6 horas uma vez na semana: a constância é muito mais importante e traz resultados muito melhores.

Para auxiliar nesses momentos, elaboramos uma série de dicas que podem fazer uma hora bem estudada render mais que 5 ou 6 desperdiçadas em repetições inúteis.

Leia Mais

Como acompanhar ao piano

Como se acompanhar ao piano

Um dos maiores desejos daqueles que se dedicam ao piano é conseguir se acompanhar enquanto canta, como fazem Ivan Lins, Guilherme Arantes, Elton John, Stevie Wonder, Alicia Keys e muitos outros. Embora isso não exija a mesma virtuosidade de um concerto para piano e orquestra, o grande desafio para quem se acompanha é conseguir se concentrar ao mesmo tempo nas dificuldades do canto – o que inclui afinação, letra, dicção e, obviamente, interpretação – e da execução pianística.

Como acompanhar ao piano

Leia Mais