Skip to main content
Escalas maiores piano

Como estudar as escalas maiores?

Base de grande parte da produção musical ocidental, as escalas devem ser objeto de constante dedicação, tanto para o domínio de suas formas quanto para o processo de moldar a mão ao formato do teclado do piano. Da mesma forma que vários outros estudos propostos aos alunos de instrumentos de teclas, as escalas têm a fama de serem repetições entediantes que, na maioria das vezes, representam para o estudante apenas mais uma lição a vencer.

 

Piano

(mais…)

Leia Mais

Ser plateia

A importância de ser plateia

Ser plateia

Da mesma forma que um escritor se torna cada vez melhor à medida em que lê mais, um pianista se aprimora não apenas pelo estudo, mas também assistindo a shows, concertos e recitais, assim como ouvindo gravações. Todas essas atividades ampliam o repertório do músico, seu conhecimento e, principalmente, seu acervo de possibilidades.

Não só na música erudita, mas também na música popular, no jazz, na música folclórica, enfim, em todo e qualquer gênero, conhecer coisas novas é importantíssimo, afinal, a cada vez que se vê um músico tocando, se aprende alguma coisa.

(mais…)

Leia Mais

Zequinha de Abreu

Zequinha de Abreu: Conheça a história desse fantástico compositor!

Quem não conhece “Tico-Tico no Fubá”? A música foi um dos maiores sucessos da década de 1940 e fez parte da trilha sonora de cinco filmes americanos: “Alô Amigos”, “A Filha do Comandante”, “Escola de Sereias”, “Kansas City Kity” e “Copacabana”, quando, com letra de Eurico Barreiros, foi cantado por Carmen Miranda. Composto por Zequinha de Abreu, em 1917, o choro é constantemente interpretado ao piano, sendo uma das peças de resistência de muitos estudantes, além de violonistas, cavaquinhistas, bandolinistas e até mesmo cantores, nos mais diversos arranjos.

(mais…)

Leia Mais

Audições

A importância das audições

Para muitas pessoas, o estudo da música é uma atividade solitária: dedicam algumas horas durante a semana para seu desenvolvimento e se sentem realizadas com os progressos alcançados. Outros, no entanto, têm uma necessidade maior de apresentarem o resultado de seu esforço. Tanto para as primeiras quanto para estas últimas, as tradicionais audições de alunos são marcantes.

Audições

(mais…)

Leia Mais

Beethoven

Beethoven – o gênio indomado

Não há estudante de piano que não conheça ou queira tocar “Pour Elise”, uma das mais populares obras do alemão Ludwig van Beethoven. Utilizada em muitas ocasiões, desde desenhos animados até propagandas, de jogos a demonstrações de pianos digitais, passando por esperas telefônicas, a peça foi composta entre os anos 1808 e 1810, em homenagem a uma jovem a quem propôs casamento, chamada Therese Malfatti.

Beethoven

(mais…)

Leia Mais

Dedilhado

O dedilhado

Na técnica pianística, tão importante quanto saber quais notas se deve tocar é saber com quais dedos essas notas devem ser tocadas. Isso é chamado dedilhado ou, como alguns preferem, digitação. A escolha do dedilhado é fundamental para que se consiga executar passagens musicais de forma eficiente e confortável, com fluidez e facilidade, utilizando a mecânica que a conformação da mão permite e estabelece.

Dedilhado

Mesmo na música popular, um bom dedilhado garante a execução de solos e melodias de forma musicalmente interessante, embora a rigidez em relação à técnica seja menor.

(mais…)

Leia Mais

Martelos do piano

Os martelos do piano

Desde que o homem descobriu que a vibração das cordas produz sons, vários foram os métodos empregados para fazê-las soar, desde o uso dos dedos, passando por plectros ou palhetas, até penas de ave e arcos produzidos com crina de cavalos. Nos pianos, o som é produzido por peças com corpo de madeira recoberto por feltro prensado, chamadas martelos. Acionados por meio de um mecanismo, os martelos golpeiam cordas esticadas e presas a uma estrutura rígida de madeira e metal. Como resultado desse golpe, as cordas vibram e produzem som.

Martelos do piano

(mais…)

Leia Mais