Skip to main content
Acordes no piano popular (voicings)

Como tocar acordes no piano popular? (voicings)

Quando se toca piano solo, é possível tocar a melodia na mão direita e os acordes da harmonia na mão esquerda, também responsável pela condução rítmica, a chamada “levada”. Mas, quando o piano está inserido em um conjunto instrumental, essa prática é pouco aconselhável. Nesses casos, o piano está na seção rítmica da banda. Isso significa que o pianista está encarregado de tocar acordes enquanto alguém toca os solos.

Acordes no piano popular (voicings)

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Progressao II V I

Progressão II – V – I: Aprofunde-se nos estudos!

Progressao II V I

Uma música é composta por três elementos básicos: a melodia, a harmonia e o ritmo. A primeira é a mais facilmente identificável e é o que, muitas vezes, se relaciona com a palavra música. Trata-se de uma sequência lógica de sons, uma sucessão de notas com sentido próprio.  É aquilo que as pessoas cantam ou assobiam, o que fica na memória.

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Como acompanhar ao piano

Como se acompanhar ao piano

Um dos maiores desejos daqueles que se dedicam ao piano é conseguir se acompanhar enquanto canta, como fazem Ivan Lins, Guilherme Arantes, Elton John, Stevie Wonder, Alicia Keys e muitos outros. Embora isso não exija a mesma virtuosidade de um concerto para piano e orquestra, o grande desafio para quem se acompanha é conseguir se concentrar ao mesmo tempo nas dificuldades do canto – o que inclui afinação, letra, dicção e, obviamente, interpretação – e da execução pianística.

Como acompanhar ao piano

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Escalas Maiores com Bemóis

Escalas Maiores com Bemóis

Com o domínio das escalas de Dó maior, Sol maior, Ré maior, Lá maior, Mi maior, Si maior, Fá# maior e Dó# maior,  o estudante completou nas apenas o ciclo das escalas maiores com sustenidos, mas adentrou, via enarmonia, ao campo das escalas com bemóis, ao considerar as escalas de Dób maior, Solb maior e Réb maior similares às de Si maior, Fá# maior e Dó# maior, respectivamente.

Escalas Maiores com Bemóis

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Figura 1

Escalas e o uso das teclas pretas

Os estudantes – e mesmo os pianistas iniciantes – têm uma grande dificuldade em tocar melodias com muitas alterações na armadura de clave. As peças em tonalidades com mais de três ou quatro sustenidos ou bemóis parecem inóspitas e, via de regra, afastam o músico de seu estudo. No entanto, todo esse temor pode desaparecer ao empreender uma simples análise das escalas dessas tonalidades e seus dedilhados, que, ao contrário do que se imagina, são muito mais ergonômicos e fáceis de memorizar.

Tendo em vista que o pianista domine as escalas de Dó maior, Sol maior, Ré maior, Lá maior e Mi, as escalas com sustenidos remanescentes – Si maior, Fá# maior e Dó# maior – se tornam fáceis de executar por conta de um simples artifício.

Ao iniciar a escala de Si maior, note que o dedo 1 da mão direita se posiciona na nota Si e os dedos 2 e 3 repousam sobre duas teclas pretas (Dó# e Ré#).

Exemplo 1

Figura 1

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Leitura à primeira vista

Os pianistas e a leitura à primeira vista

Cada vez mais os pianistas são requisitados para desempenhar várias tarefas relacionadas ao fazer música, tanto no âmbito profissional quanto nos momentos de lazer, como tocar em eventos sociais, festas e bares, participar de grupos de música, e realizar apresentações solo, além de atividades como regência, composição e pesquisa.

Leitura à primeira vista

(mais…)



Share article on

Leia Mais

post-dedilhado

O dedilhado de Dó maior e as escalas maiores

A escala de Dó Maior não é apenas modelo para a construção das escalas maiores, mas também para o dedilhado utilizado na execução delas. A fórmula 1-2-3-1-2-3-4 utilizada na escala natural (aquela sem sustenidos ou bemóis) pode – e deve – ser transposta para as outras tonalidades, de forma a facilitar a compreensão e o domínio delas.

Dedilhado de Dó Maior e Escalas Maiores

(mais…)



Share article on

Leia Mais

post-musica

Como a música pode auxiliar na aprendizagem de idiomas?

O estudo de música – e até mesmo o hábito de ouvi-la – é reconhecido por muitos pesquisadores como prática que desenvolve a mente humana, proporciona bem-estar, promove o equilíbrio físico e mental, e facilita a concentração e o desenvolvimento do raciocínio. E está comprovado que crianças que se envolvem com a música apresentam melhor desempenho escolar e, geralmente, notas mais elevadas.

Música no aprendizado de idiomas

(mais…)



Share article on

Leia Mais

Ser plateia

A importância de ser plateia

Ser plateia

Da mesma forma que um escritor se torna cada vez melhor à medida em que lê mais, um pianista se aprimora não apenas pelo estudo, mas também assistindo a shows, concertos e recitais, assim como ouvindo gravações. Todas essas atividades ampliam o repertório do músico, seu conhecimento e, principalmente, seu acervo de possibilidades.

Não só na música erudita, mas também na música popular, no jazz, na música folclórica, enfim, em todo e qualquer gênero, conhecer coisas novas é importantíssimo, afinal, a cada vez que se vê um músico tocando, se aprende alguma coisa.

(mais…)



Share article on

Leia Mais