Skip to main content
piano

Aprender piano brincando: lições para crianças e adultos

piano

Há muito tempo se busca maneiras mais produtivas e divertidas de aprender a tocar piano. Com o passar do tempo, a revolução da tecnologia e a substituição das formas de entretenimento por outras mais imediatas fez que o ensino do piano precisasse se renovar. Afinal, poucos são os que se dispõem a ficar muitas horas por dia estudando algo que, muitas vezes, não é seu verdadeiro objetivo.

O estudo formal, baseado nos métodos consagrados, tem seu espaço garantido a partir do momento em que o interesse pelo instrumento demonstra ser genuíno e crescente. Mas, para chegar a esse ponto, os estudantes devem ser estimulados a explorar não apenas as teclas do piano, mas todo e qualquer artifício que desperte neles uma vontade cada vez maior de aprender. Não à toa, o verbo “to play”, em inglês, significa tanto tocar como jogar ou brincar.

Aprender brincando: uma realidade

Já se sabe que o contato da criança com a música, desde a primeira infância, pode ajudar em seu desenvolvimento cerebral. E isso não é apenas conjectura, mas fato comprovado pela ciência.

“A música trabalha múltiplas habilidades na criança, estimulando a parte motora, a audição, o raciocínio, as noções de proporção e ritmo, as emoções e a sensibilidade”, afirma o neuropediatra Mauro Muszkat, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“Dessa forma, faz que várias áreas do cérebro funcionem simultaneamente”, conclui. Mas o aprendizado e o amadurecimento da criança ocorrem, em grande parte, enquanto ela brinca. Por que, então, o ensino do piano deveria estar dissociado dessa realidade?

piano

Existem cursos de música para crianças a partir dos 18 meses, mais conhecidos como cursos de musicalização infantil. Ali, as crianças têm contato com diversos instrumentos musicais, entre eles o piano.

As aulas, nesse caso, são bastante lúdicas e abrangem outros elementos na música além do instrumento como brincadeiras com percussão a fim de iniciar o estudante às figuras rítmicas, e a introdução de outros instrumentos para desenvolver a percepção dos diferentes timbres.

Jogos musicais de adivinhação de sons e discernimento de alturas, dinâmica e intensidade, faz que a criança aprenda os fundamentos da música de maneira prazerosa, brincando.

Após essa fase, por volta dos 4 anos de idade, as crianças já demonstram, de modo geral, capacidade de concentração grande o suficiente para conseguirem tocar um instrumento. Isso não significa, no entanto, que os jogos e as brincadeiras acabaram.

A educadora argentina Violeta Hemsy de Gainza acredita que as atividades lúdicas são desprezadas no ensino musical, geralmente, por causa de seu caráter informal. “É necessário superar o quanto antes a falsa dicotomia que separa o aprender e o saber, o jogar e o desfrutar”, afirma.

 

 

Manter o interesse da criança pela música e pelo piano – e estimulá-la a aprender cada vez mais – é primordial para a formação de novos pianistas. Afinal, uma criança dessa idade que deseja tocar um instrumento não necessariamente quer aprender a ler partituras, mas explorar as possibilidades dela.

Uma aula que tente diminuir essa espontaneidade provavelmente aborrecerá a criança e a afastará do piano. O mais lógico, nesses casos, é direcionar essa exploração, de forma a introduzir cada vez mais elementos musicais formais.

Existem várias técnicas e muitos artifícios para introduzir conceitos musicais nas crianças. Muitos docentes trabalham com jogos musicais, fora do piano, utilizando blocos de madeira, dominós, quebra-cabeças, jogos de cartas, bingo e movimento corporal, entre outros, que visam a reforçar os elementos musicais aprendidos.

Além de motivar as crianças, essas brincadeiras servem como “descanso” para a árdua atividade de se concentrar em um código (a partitura) e fazer música por meio de um mecanismo (as teclas do piano).

Outra forma de garantir que a criança evolua e se mantenha estimulada a repetir os exercícios é brincar utilizando desenhos que indicam maneiras diferentes de tocar, como forte, fraco, lento, rápido, staccato, legato etc.

Os adultos aprendem brincando?

Obviamente, para os adultos, não será preciso desenhar diferentes formas de tocar, mas se deve estimulá-los a tentar. E, além disso, permitir que explorem o instrumento, tirando músicas de ouvido, inventando melodias e acompanhamentos, e improvisando, assim como com as crianças.

Os alunos de piano demonstram entusiasmo quando produzem ideias originais e criativas ao instrumento, partindo daquilo que aprenderam para construir suas próprias obras. E, cada vez mais, terão interesse por aprender mais elementos e técnicas. Para os adultos essa é o verdadeiro sentido de “aprender piano brincando”.

 

 

 

 



Share article on

Related Post

Um comentário em “Aprender piano brincando: lições para crianças e adultos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*