Skip to main content
Técnicas de Piano

10 métodos para aprimorar a técnica no piano

Exercícios de Piano para Treinar

Dominar as teclas do piano de modo que se consiga expressar os sentimentos de maneira profunda é matéria de muito estudo, desde os primórdios da invenção do instrumento.

O grande compositor alemão J. S. Bach, por exemplo, escreveu boa parte de sua obra conhecida atualmente como métodos de estudo, seja para sua esposa, Ana Magdalena Bach, ou para seus filhos e alunos. E isso na primeira metade do século 18!

Com o desenvolvimento técnico do piano como instrumento, mais e mais métodos foram criados, escritos e sumarizados, com o objetivo de facilitar o domínio da técnica pianística e dotar o pianista de todas as ferramentas necessárias para interpretar desde as mais singelas canções às grandes obras escritas para os virtuoses.

Listamos aqui 10 dos mais conhecidos e importantes compêndios de exercícios de técnica pianística, para que você possa escolher com seu professor qual utilizar de acordo com suas necessidades e habilidades. Além desses, existem centenas de outros, alguns abordando elementos bem específicos, como pedalização, oitavas e outros. Bom estudo!

1 – A DOSE DO DIA – Edna Mae Burnam

Edna Mae Burnam (1907-2007) é um dos nomes mais respeitados da pedagogia do piano. Formada pela Universidade de Washington e pelo Chico State Teachers College, em Los Angeles, Burnam iniciou sua longa e frutífera associação com a Willis Music, de Florence, no Kentucky, em 1937.

Em 1950, Burnam enviou manuscritos à editora para uma série de piano composta de exercícios curtos de aquecimento. Com bonequinhos desenhados à mão (agora icônicos) e indicações de onde as ilustrações “reais” deveriam ser colocadas, esse manuscrito tornou-se a série Dozen a Day (A Dose Do Dia), que vendeu mais de 25 milhões de cópias em todo o mundo.

A série foi especialmente concebida para o exercício diário dos dedos, antes de iniciar a aula de piano e é composta por um minilivro de iniciação e por mais 5 livros de progressiva dificuldade técnica. É indicada para os iniciantes no piano.

2 – EXERCÍCIOS PARA A IGUALDADE DAS MÃOS E DOS DEDOS – L. Benoit

Publicado em meados do século 19 na França, o método de Louis Benoit traz uma coletânea de 100 estudos técnicos para a igualdade das mãos e dos dedos do pianista. Contém escalas, arpejos, trilos, legatos, staccatos em movimentos paralelos e contrários. No Brasil, ganhou uma edição revisada por Luigi Chiaffarelli, um dos primeiros mestres do piano no País. É indicado para estudantes de nível iniciante a médio.

3 – MÉTODO PARA O ESTUDO DO PIANO – B. Cesi

Beniamino Cesi (1845 – 1907) foi um célebre concertista e professor de piano italiano, aluno de Sigismund Thalberg e mestre de muitos dos mais notáveis pianistas do início do século 20 da escola napolitana, entre eles Giuseppe Martucci, Alessandro Longo, Michele Esposito, Samuel Maykapar e Leopoldo Mugnone, de modo que sua influência se difundiu amplamente. Atingido por paralisia no braço esquerdo, começou a trabalhar em seu método de piano em 1891.

Dividida por assuntos – escalas, arpejos, igualdade entre as mãos etc. – sua obra teve considerável importância e ainda hoje é utilizada na alfabetização musical e no desenvolvimento da técnica pianística.

Exercícios de Piano

4 – POZZOLI – A Técnica Diária Do Pianista

Ettore Pozzoli (1873 – 1957) foi um pianista, compositor e professor italiano, famoso por seus exercícios de piano e sua coleção de solfeggios.

A “Técnica Diária Do Pianista” trata com muita atenção dos estudos de notas presas e da passagem do polegar, a fim de levar o pianista à completa independência de mãos e dedos. É indicado para estudantes de nível médio a avançado.

5 – ESCOLA DA VELOCIDADE – OP. 61 – Hermann Berens

Hermann Johann Berens (1826 – 1880) foi compositor, maestro, pianista e professor de piano e de composição. Proeminente músico de câmara, desfrutou de considerável sucesso durante sua vida com seus estudos para piano.

A coletânea contém exercícios para a mão direita e para a mão esquerda, escalas e arpejos, notas presas etc. No Brasil, uma das primeiras edições tem revisão do maestro, pianista e compositor Lorenzo Fernandez. É indicado para estudantes de nível médio a avançado.

6 – HANON – O PIANISTA VIRTUOSO – Hanon e Henry Lemoine

Este método apresenta o encontro de dois nomes importantes da escola francesa do piano: Hanon e Lemoine.

Charles-Louis Hanon (1819 – 1900) foi um pedagogo e compositor de piano francês. Em seu método, trabalha o desenvolvimento da técnica da velocidade, apresentando 60 exercícios de escalas e arpejos, com intervalo de oitavas separando as mãos.

Henry Lemoine (1786 – 1854) foi um editor musical, compositor e professor de piano francês. Seu método de piano ainda é de grande interesse para os alunos do instrumento, pois trata da independência dos dedos e de intervalos simultâneos, tanto na mão esquerda quanto na direita.

O método é um dos mais utilizados para o desenvolvimento da técnica

Técnicas de Piano

7 – MODAL HANON – Peter Deneff

Peter Deneff, depois de muitos anos de aulas de piano clássico, começou os estudos de jazz com o pianista Mike Garson. Durante esse tempo, estudou muitos estilos étnicos e produziu milhares de arranjos de áudio para a editora Hal Leonard.

Baseado no tradicional Hanon, o livro de Dennef trata de escalas não ocidentais, tempos ímpares, modos grego, turco e oriental, padrões musicais e melódicos e excelentes exercícios de aquecimento com o intuito de desenvolver um vocabulário melódico maior.

8 – EXERCÍCIOS TÉCNICOS DIÁRIOS – Oscar Beringer

Oscar Beringer (1844–1922) foi um destacado pianista nascido em Baden, na Alemanha. 

Considerado superior em termos de dificuldade e resultados em comparação ao método de Hanon, o livro de Beringer é dividido em 10 capítulos, trazendo estudos para os cinco dedos com movimento progressivo da mão, exercícios de escalas, exercícios de acordes, mudança de dedos sobre uma mesma nota, estudos em terças, sextas e acordes, estudos de oitavas e acordes, exercícios de extensão, para cruzamento e mudança de mãos e polirritmia, além de um apêndice incluindo escalas e arpejos com digitação usual.

Em suma, praticamente todas as dificuldades que um pianista pode encontrar tanto na execução das peças do repertório erudito tradicional quanto para o piano popular.

9 – EXERCÍCIOS TÉCNICOS – Franz Liszt

Franz Liszt (1811 —1886) foi um dos maiores pianistas de todos os tempos. Compostos entre os anos de 1868 e 1873, os exercícios técnicos são altamente desafiadores e o objetivo do compositor foi o de construir habilidades de melhor desempenho em pianistas virtuoses.

A série completa é composta por doze volumes, cada um tratando de um problema pianístico diferente. Atualmente pode ser encontrada uma edição compilada em 223 páginas, apresentando os exercícios em um comprimento razoável sem prejudicar a essência e a eficácia do trabalho original.

É indicado para estudantes de nível avançado.

10 – EXERCÍCIOS DE TÉCNICA PARA PIANO – Ondine de Mello

Não só compositores estrangeiros escreveram bons livros de técnica pianística. Idealizado e revisado pelo arranjador e tecladista Luciano Alves, este método busca proporcionar ao estudante as técnicas de abertura, independência das mãos e dos dedos, além de um grande aumento do domínio do piano.

Prefaciado por Nelson Freire, um dos mais respeitados pianistas brasileiros no exterior, este método foi organizado a partir de aulas ministradas pela grande pianista e professora Ondine de Mello.

Já conhecia algum desses métodos ou já utilizou algum deles? Conte para a gente nos comentários a sua experiência! Essa foi a nossa lista com os 10 métodos para aprimorar a técnica no piano – continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdo.

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*