Skip to main content
Importância da música

Música: ponto de equilíbrio das atividades diárias

Importância da música

Desde os primórdios de nossa história, a música tem papel fundamental em todas as culturas, seja como parte de cerimônias e rituais ou como modo de festejar e compartilhar momentos de alegria.

Dos menestreis, que contavam as histórias dos cavaleiros, aos monges cantando em uníssono em monastérios, ou das orações religiosas às festas pagãs, a música sempre teve lugar de destaque. Atualmente, no rádio, na televisão, em aplicativos e em shows, a música parece ser onipresente e um produto de sucesso para as massas.

A importância da música na vida moderna

No entanto, a vida agitada, o estresse, as atividades repetitivas, a pressão por resultados, o trânsito, tudo isso e muitos mais problemas e situações também fazem parte do atual momento da maior parte dos habitantes do planeta Terra. Isso significa que o ser humano tem cada vez menos tempo disponível para atividades prazerosas, que os reconectem à sua essência e ofereçam momentos de tranquilidade e felicidade.

Algumas pessoas têm necessidade de extravasar a energia e o estresse acumulados frequentando uma academia de ginástica, mas outras preferem uma atividade mais tranquila, que exija concentração e produza algo de que ela goste: música.

Por conta disso, muito procuram ir além do papel de ouvinte e buscam equilibrar a tensão e a rotina com momentos de dedicação a um instrumento musical, como o piano. Nessas horas, eles se afastam dos problemas se concentrando em algo que lhes dá prazer e se deixam levar a um universo completamente diverso daquele em que ele passou a maior parte de seu dia. O Dr. Sergio Cavaglieri, neurocirurgião de um importante hospital em São Paulo, atesta os benefícios que o estudo de música traz para seu equilíbrio interior: “Por mais que tenhamos segurança na realização de procedimentos dessa natureza, a tensão causada pela impossibilidade de errar aliada aos grandes períodos frequentemente necessários para uma cirurgia pode levar a um alto nível de estresse e, por vezes, a um completo esgotamento físico e mental”, afirma. “Quando volto para casa, procuro dedicar pelo menos uma hora ao estudo de piano, a fim de baixar o nível de tensão acumulada durante o dia e me desconectar dos procedimentos realizados. Nem sempre é fácil, mas a música me auxilia a voltar meu foco para outras atividades e relaxar”.

Importância da música

Música e Saúde: Diminuição da pressão sanguínea

Já estão mais que comprovados os benefícios que a música pode trazer para todos os seres vivos. E em tempos de desequilíbrio entre as atividades profissionais e o lazer, a música pode ser uma grande aliada até mesmo para a manutenção da saúde corporal.

Segundo um estudo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em colaboração com a Faculdade de Juazeiro do Norte, no Ceará, com a Faculdade de Medicina do ABC (SP) e com a Universidade Brookes de Oxford, na Inglaterra, foi constatado que a música intensifica os efeitos benéficos de medicamentos contra hipertensão.

Os resultados da pesquisa, que recebeu o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foram publicados na revista Scientific Reports. “Observamos que a música melhorou a frequência cardíaca e os efeitos de anti-hipertensivos no período de até uma hora após a medicação“, comenta Vitor Engrácia Valenti, professor da Unesp e coordenador do estudo.

Os pesquisadores iniciaram o estudo pelo efeito da música sobre o coração em situações de estresse. Uma das constatações foi que as obras eruditas, de compositores como Bach, Mozart e Beethoven, possuem a capacidade de diminuir a frequência cardíaca. “Constatamos que a música erudita ativa o sistema nervoso parassimpático – responsável por acalmar o organismo – desacelerando os batimentos cardíacos, e reduz a atividade do sistema simpático, que acelerar os batimentos“, explica o cientista.

Com base nessa constatação, foi estudado o efeito da estimulação musical por meio de um método chamado de “variabilidade da frequência cardíaca” durante situações cotidianas, como no tratamento da hipertensão, em que a terapia musical tem sido estudada como uma intervenção complementar.

Os pesquisadores realizaram um experimento em que avaliaram, durante dois dias aleatórios e com um intervalo de 48 horas, os efeitos do estímulo auditivo musical associado à medicação contra a hipertensão nessas variáveis cardiovasculares em 37 pacientes com pressão arterial controlada, os quais realizaram tratamento por um período de 6 meses a 1 ano.

A análise dos dados indicou que a frequência cardíaca dos pacientes diminuiu 60 minutos após todos serem medicados e ouvirem música. Já quando tomaram o anti-hipertensivo de rotina e não ouviram qualquer estímulo musical na sequência, a frequência cardíaca não sofreu alteração tão intensa. Pode-se imaginar, portanto, como o estudo de música auxilia no equilíbrio do indivíduo, aliando questões orgânicas ao relaxamento psíquico e ao controle da ansiedade, tendo como resultado altas doses de realização pessoal. O poder da música vai muito além do que podemos imaginar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*